fbpx

4 vantagens da técnica dual plane para implante de silicone

4 vantagens da técnica dual plane para implante de silicone - Dr. Francisco Santos Neto - Cirurgião plástico

Já ouviu falar na técnica DUAL PLANE para implante de silicone? Pode parecer um termo bastante técnico, não é mesmo? mas é importante que você entenda o que ele significa e quais as suas vantagens. Por isso, resolvi escrever esse post para esclarecer.

Muitas pacientes me perguntam sobre qual o melhor método para colocar o implante de silicone: por cima ou por baixo do músculo? Como tudo na cirurgia plástica, a resposta não é uma receita pronta que vale para todo mundo.

Depende da avaliação da paciente, de sua anatomia, da espessura do tecido mamário, entre outros fatores. Vou explicar de forma simples para que você possa tomar boas decisões sobre sua cirurgia.

O que é a técnica dual plane para implante de silicone

Até pouco tempo atrás, havia duas formas principais para colocação da prótese de silicone. São elas:

  • Submuscular ou retropeitoral: o implante fica atrás do músculo peitoral. Costuma ser indicada para mulheres muito magras e com pouco seio. O aspecto fica mais natural, mas a recuperação tende a ser mais longa, com restrições de movimentos para a mulher.
  • Subglandular: a prótese fica na frente do músculo e atrás da glândula mamária. Indicada para mulheres que tem algum volume de seio e deseja dar mais destaque para a região. A recuperação tende a ser mais rápida, pois o trauma cirúrgico é menor.

As duas técnicas apresentam suas vantagens e desvantagens.

Entre os inconvenientes, está a visibilidade do implante, que fica marcado no colo da mulher. Com o tempo, podem aparecem rugas visíveis na pele, chamadas de rippling. Outra possibilidade é o deslocamento da prótese para cima ou para o lado, além de possíveis deformidades no polo inferior, conhecidas como dupla bolha.

No início dos anos 2000, o cirurgião plástico norte-americano John Tebbetts desenvolveu uma nova técnica que reúne o melhor dessas duas anteriores, com resultados comprovados ao longo dos anos. É a dual plane!

  • Dual plane ou plano duplo é uma técnica submuscular parcial. A parte superior da prótese de silicone, que é maior, fica recoberta pelo músculo peitoral, enquanto a parte inferior fica sob a glândula mamária. Com essa técnica, é possível obter as vantagens das duas anteriores.

Agora que ficou mais clara a diferença da dual plane para os outros métodos, vou explicar melhor as vantagens. Veja como é interessante!

4 vantagens da técnica dual plane

1. Recuperação rápida

A técnica dual plane permite que a mulher tenha uma recuperação mais acelerada, que chamamos de “braços livres”. Isso porque a movimentação completa dos braços fica liberada cerca de 1 hora depois da cirurgia.

Quando o Dr. Tebbetts descreveu essa técnica, um de seus grandes destaques foi a possibilidade da mulher se submeter à cirurgia na parte da manhã e estar em casa para jantar à noite com a família. Incrível, não?

Com a dual plane, a paciente fica liberada para dirigir de forma mais precoce, entre 48 a 72 horas após a cirurgia. O retorno ao trabalho e às atividades físicas também fica nesse prazo.

Para saber mais detalhes sobre como funciona o pós-operatório mais rápido, veja o post que escrevi sobre Recuperação de prótese de mama: o protocolo fast track.

2. Aparência mais natural

Quando a paciente tem pouco seio ou é muito magra – o que é a maioria dos casos de mulheres que buscam a colocação de próteses de silicone – acontece de o implante ficar visível na parte de cima. Com o tempo, surgem nessa região algumas dobras conhecidas como rippling.

A técnica dual plane evita que isso ocorra, pois na parte superior da mama, a prótese estará protegida pelo músculo peitoral. Além disso, as transições do tórax para a mama ficam mais próximas ao natural, tanto na parte de cima quanto no meio dos seios.

3. Menor mobilidade da prótese

Com o passar dos anos, existe a possibilidade da prótese se mover pela ação muscular, seja para cima ou para o lado. Com a técnica dual plane, esse risco é evitado, uma vez que a prótese não está totalmente atrás do músculo.

4. Evita a necessidade de troca do implante

Um dos principais motivos para a necessidade da troca da prótese é a contratura capsular. A contratura é uma cicatriz que se forma em volta do implante. Isso pode provocar dor, alterar a forma ou endurecer a mama. Atinge cerca de 20% das pacientes com próteses de silicone. Estudos realizados em pacientes a longo prazo indicam que a técnica dual plane reduz as chances de contraturas capsulares.

Principais dúvidas sobre a técnica dual plane

Para quem é indicada?

Em geral, recomendo a técnica dual plane para pessoas muito magras ou com pouco tecido mamário. Mas é possível ser aplicada em uma grande variedade de tipos de seios. A escolha deve ser baseada na avaliação pré-operatória da mama e pode influenciar muito no resultado!

A primeira avaliação que faço é da espessura da pele, na parte de cima da mama. Se tiver menos de 2 centímetros, indico a prótese por baixo do músculo.

Existe um tamanho máximo para a dual plane?

Não tem um tamanho que sirva para todas. Depende das medidas de cada paciente. As limitações são as mesmas do plano subglandular. O ideal é não ultrapassar os limites da base da mama. Quanto maior a prótese, maior o risco de intercorrências.

Os tipos de dual plane podem ser personalizados para moldar o formato da mama. É possível deixar mais ou menos músculo cobrindo as próteses, o que muda a curvatura da parte de baixo da mama (o polo inferior). ⠀

Mulheres com flacidez na mama pode fazer dual plane?

Sim, é possível usar a técnica dual plane para quem tem muita flacidez na mama. O procedimento é feito em associação à mastopexia, que justamente trata da remoção do excesso de pele. A diferença, nesses casos, é que não dá para fazer o protocolo de recuperação rápida. Isso porque a cirurgia fica um pouco mais complexa.

Espero que tenha gostado das informações! Quer uma avaliação completa sobre o seu caso? Terei o maior prazer em atendê-la. Agende uma consulta e vamos conversar.

Publicado por: Dr. Francisco Santos Neto – Cirurgião Plástico | CRMSC 23170 | RQE 14041

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM